Inauguração Galeria Mamute - Florianópolis

Exposição: Pelo mar que nos leva mais longe. Curadoria: Henrique Menezes Artistas: Alexandre Freire, Andressa Cantergiani, Anna Moraes, Antônio Augusto Bueno, Bruno Borne, Camila Elis, Claudia Hamerski, Fernanda Valadares, Luanda, Luciana Petrelli, Rafael Bornhausen

LUANDA

"Fundo do Mar" Pintura – acrílica sobre tela 250 x 150 cm 2018

ANTÔNIO AUGUSTO BUENO

"Lembranças de Janeiro durante o ano inteiro 2" Pintura – acrílica sobre tela 150 x 150 cm 2022

Alexandre Freire

Sublimação Pintura – objeto: dobra, corte e pintura sobre papel 22 x 22 cm cada peça 2022

FERNANDA VALADARES

"Novembro A e B" Pintura – encáustica sobre compensado naval 125 x 80 cm cada peça 2021

BRUNO BORNE

"Armazém Rita Maria" Fotografia – computação gráfica, impressão digital 110 x 110 cm 2022

BRUNO BORNE

"Armazém Rita Maria" Fotografia – computação gráfica, impressão digital 110 x 110 cm 2022

CAMILA ELIS

"Hidra" Pintura - óleo sobre tela de linho 145 x 130 cm 2022

CAMILA ELIS

"Hidra" Pintura - óleo sobre tela de linho 145 x 130 cm 2022

ANNA MORAES

"Tempête" Desenho – guache e marcador sobre papel Hanhmuller de bambu 58 x 84 cm 2022

LUCIANA PETRELLI

"Vôo imaginário" Fotografia - impressão em papel 80 x 100 cm 2020

LUCIANA PETRELLI

"Vôo imaginário" Fotografia - impressão em papel 80 x 100 cm 2020

RAFAEL BORNHAUSEN

"Pavãozinho do Pará em vôo" Fotografia – impressão em papel Photo Rag 40 x 60 cm cada 2021

RAFAEL BORNHAUSEN

"Pavãozinho do Pará em vôo" Fotografia – impressão em papel Photo Rag 40 x 60 cm cada 2021

CLAUDIA HAMERSKI

"Todas as coisas pequenas exigem vagar" Desenho - lápis crayon, carvão e grafite sobre papel Montval 300g 120 x 208 cm 2021

Exposição de inauguração da nova sede da Galeria Mamute, em Florianópolis. Além da unidade de Porto Alegre, a galeria amplia sua atuação e se instala em um espaço de destaque na ilha: o Armazém Rita Maria, um complexo histórico-arquitetônico totalmente restaurado, em íntima relação com o presente e o passado da cidade. Com a curadoria de Henrique Menezes, a exposição de inauguração tem o título: “Pelo mar que nos leva mais longe. Pelo ar que nos leva mais longe” é apresentada em dois momentos, com aberturas em 28 de janeiro e 2 de abril.

Pelo mar que nos leva mais longe
Pelo ar que nos leva mais longe


"A ideia de linha do tempo carrega em si a sensação de que os acontecimentos tomam a forma de uma planície, equivalentes em suas potências e uniformes por sua intensidade. No ano em que completa uma década de atividades, a galeria Mamute nos evidencia que existem pontos altos no relevo da história: ao inaugurar uma nova sede em Florianópolis, reafirma seu projeto de atuação, levando além-fronteiras a arte contemporânea brasileira.


Em sua trajetória, a Mamute capitaneou mais de cinquenta exposições no seu espaço expositivo — um imponente prédio tombado no Centro Histórico de Porto Alegre — além de fomentar a visibilidade dos artistas representados aproximando-os de múltiplos públicos: organizou e apoiou mostras pelo Brasil e no exterior, participando de feiras e exposições que contribuíram para a legitimação da produção difundida pela galeria. Nesses (primeiros) dez anos, a Mamute acreditou no diálogo entre gerações, reconhecendo nomes consolidados e também revelando jovens artistas com carreiras em ascensão: é a convivência do consagrado com o novo que mantém a arte pulsante, aberta às linguagens emergentes. Os artistas que formam o elenco da galeria compõem importantes coleções públicas e privadas: MAC USP, Pinacoteca de São Paulo, MACRS, MARGS, Fundação Vera Chaves Barcellos, MASC, entre outras — além de integrarem eventos notórios como as Bienais de Veneza, de São Paulo e do Mercosul.


Avançar nunca será uma atitude passiva: ultrapassar limites e ir além requer ação, energia, impulso. Para marcar sua chegada em Santa Catarina, a Mamute apresenta duas exposições — Pelo mar que nos leva mais longe ocupa a galeria a partir de janeiro e Pelo ar que nos leva mais longe entrará em cartaz no final de março, conjugando uma seleção de artistas representados e convidados locais. Em uma abstração poética, o que separa o mar e o ar é o horizonte — imagem fértil para ilustrar o movimento que a galeria empreende em 2022: olhar para longe e avançar, aberta aos fluxos e consciente do norte que deseja alcançar."


Henrique Menezes
Curador da exposição